sábado, 21 de abril de 2012

Lição 6 - 2º Trimestre 2012 TIATIRA, A IGREJA TOLERANTE. 06 de Maio de 2012



LEITURA BÍBLICA: 
Apocalipse 2.18-25
Ao anjo da igreja de Tiatira escreva o seguinte: Esta é a mensagem do filho de Deus, que tem olhos que brilham como o fogo e pés brilhantes como o bronze polido. Eu sei o que vocês estão fazendo. Sei que têm amor, são fiéis, trabalham e aguentam o sofrimento com paciência. Eu sei que vocês estão fazendo mais agora do que no princípio. Porém tenho contra vocês uma coisa: é que toleram Jezabel, aquela mulher que diz que é profetisa. Ela leva os meus servos para o mau caminho, ensinando-os a cometer imoralidade sexual e a comerem alimentos que foram oferecidos aos ídolos. Eu lhe dei tempo para abandonar os seus pecados, porém ela não quer deixar a imoralidade. Portanto, eu a jogarei numa cama, onde ela e os que com ela cometem adultério sofrerão horrivelmente. Farei isso agora, a não ser que eles se arrependam das coisas que fizeram junto com ela. Matarei os seguidores dela, e então todas as igrejas saberão que eu sou aquele que conhece os pensamentos e os desejos de todos. Eu pagarei a cada um de vocês de acordo com o que tiver feito. Porém aí em Tiatira o resto de vocês não seguiu esse mau ensinamento. Vocês não aprenderam o que alguns chamam de os segredos profundos de Satanás. Afirmo que não porei mais nenhuma carga sobre vocês. Mas, até que eu venha, guardem bem aquilo que vocês têm. 

INTRODUÇÃO
A igreja de Tiatira era uma igreja de meios-termos. Os membros possuíam algumas boas qualidades. Eram notáveis por seu “amor, a sua fé, o seu serviço e a sua perseverança”. Estavam aumentando seu zelo, “fazendo mais agora do que no princípio” (v.19), a situação inversa de Éfeso, que estava abandonado o primeiro amor (2.4). Mas, assim como Pérgamo, toleravam os falsos mestres, só que a situação era pior, pois toleravam Jezabel entre eles.

1. A IGREJA EM TIATIRA.
Das sete cartas constantes de Ap. 2 e 3, a destinada à igreja em Tiatira é a mais longa, no entanto, é esta a cidade sobre que menos sabemos e, portanto, pouco podemos escrever a seu respeito.

Tiatira era uma cidade da Lídia, localizada na fronteira com a Mísia, fundada após a morte de Alexandre, o grande, por Seleuco Nicanor, da Síria, em cerca de 301 e 281 a.C. Ela foi originalmente conhecida pelos nomes de Pelópia e depois Euópia, mudando-lhe Seleuco o nome para Tiatira de modo definitivo; há quem afirme que este nome significa “Torre Thia”. Está atualmente reduzida à pequena vila denominada Akissar, próximo às antigas ruínas da cidade original. 

Dizem os historiadores que sua fundação por Seleuco, teve fins militares defensivos, havendo sido por muito tempo uma fortaleza dos domínios do reino de Pérgamo, e como tal passou ao domínio romano.

Era localizada no vale entre o Monte Horno e o rio Caico, entre as cidades de Pérgamo e Sardes, à margem da estrada Comercial Romana; como tal, veio a ser uma das cidades constituintes da Província Romana da Ásia.

Tiatira era religiosamente dominada pela idolatria pagã em torno da adoração a Apolo Tirinas, que com este nome representava o sol. Outros deuses pagãos eram igualmente adorados, à semelhança do que acontecia nas demais cidades da região; e, de modo idêntico, também adoravam ali ao Imperador romano, por efeito da ocupação militar de Tiatira pelo Império Romano.

Era aquela uma cidade industrial da época, que se ocupava da extração de certa substância de cor rubra, obtida da raiz duma planta denominada garancina, e também da fabricação de roupas e manufatura de objetos de bronze. O livro do Atos nos fala duma mulher de nome Lídia, que era vendedora de púrpura, da cidade de Tiatira, At 16.11-15, que se converteu em Filipos. Talvez essa senhora fosse representante da indústria tintureira e manufatureira de sua cidade natal, Tiatira. Dizem os historiadores também haver existido ali uma indústria metalúrgica.

Admite-se por indução arqueológica e inferência histórica, que nas antigas cidades daquela região, havia sempre grande entrosamento da idolatria ambiente com a vida comercial e industrial; portanto, é provável que em Tiatira esta prática estivesse em evidencia e que haja causado sérios problemas à igreja ali existente, no tocante aos seus membros, que estavam vinculado às classes operárias locais e, portanto, associados às agremiações que presidiam sobre essas classes. E o que se infere dalgumas palavras constantes da carta dirigida a esta igreja, especialmente a frase “bronze polido” e da prática da prostituição e da comida de ofertas aos ídolos. 

2. A IDENTIFICAÇÃO DO DESTINATÁRIO.
E normal admitir-se que o cristianismo chegou a Tiatira como consequência do frutífero ministério de Paulo em Éfeso, quando de sua terceira viagem missionária se demorou ali dois anos, dando oportunidade a toda a Província Romana da Ásia ouvir o Evangelho, At 19.10. 

À igreja em Tiatira Jesus se apresenta como “o Filho de Deus”, portador da perfeita onisciência, pois tinha “os olhos semelhantes à chama de fogo” e também como Juiz capaz de exercer pleno julgamento, pois tinha “pés como bronze polido e reluzente”, Ap 2.18, significando que nada lhe era oculto das práticas más existentes naquela igreja, Hb 4.13.

 O seu título geral é Filho de Deus, isto é, o eterno e unigênito Filho de Deus, o que denota que ele tem a mesma natureza do Pai, mas com uma maneira distinta e subordinada de subsidência. A descrição que temos dele aqui está em dois aspectos: 

1) Que os seus olhos são como chama de fogo, significando o seu relacionamento agudo, penetrante e perfeito, a percepção profunda de todas as pessoas e coisas, ... aquele que sonda as mentes e os corações (v.23), e vai fazer com que toda as igrejas saibam que Ele o faz.

 2) Que os seus pés são como latão reluzentes, que as emanações da sua providência são constantes, tremendas e totalmente puras e santas. Assim como Ele julga com sabedoria perfeita, assim Ele age com força e firmeza perfeitas. 

3. UMA IGREJA RICA EM OBRAS.
A natureza honrada e o elogio que Cristo faz a essa igreja, ministério e povo; e isso foi feito por alguém que não era desconhecido deles, mas bem familiarizado com eles e com os princípios segundo os quais eles procediam. Agora nessa igreja Cristo faz menção honrosa: 

1) Da sua caridade, seja a mais geral de fazer o bem a todos os homens, seja a mais específica, de fazer o bem à casa da fé; não há religião sem caridade. 

2) Do seu serviço, o seu ministério; isso diz respeito principalmente aos obreiros da igreja, que tinham trabalhado na palavra e na doutrina.  

3) Da sua fé, que era a graça que estimulava todo o resto, tanto sua caridade quanto seu serviço. 

4) Da sua paciência; pois os que são os mais caridosos aos outros, os mais diligentes no seu lugar e mais fiéis, precisam esperar deparar com o que vai exercer a sua paciência. 

5) Da sua frutificação crescente: sua últimas obras são melhores do que as primeiras. Isso é um aspecto exercente; enquanto outros tinham deixado o seu primeiro amor; e perdido o seu primeiro zelo, estes estavam se tornando mais sábios e melhores. Deveria ser a ambição e o sincero desejo de todos os cristãos que as suas últimas obras fossem as melhores, que fossem melhores a cada dia, e as melhores no final. 

Havia em Tiatira algumas coisas boas e de imenso valor: amor, fé, serviço, perseverança, de certo modo mais expressivos do que noutras igrejas da região, Ap 2.19. Mas, de parceria com tal operosidade, havia coisas verdadeiramente condenáveis. 

A igreja de Tiatira estava contaminada pelo mal, mas Cristo destacou primeiro o que podia ser elogiado nela: fé, a paciência e as obras de alguns cristãos fiéis. 

As tuas últimas obras são mais do que as primeiras. Quanto mais se levantavam dificuldades, mais ardentes era a fé e mais abundante o trabalho dos fiéis a Deus. 

Ali estava em plena atividade, de modo iníquo e ostensivo, como procedera sua congênere do reino de Israel, 1 Rs 21.25, certa mulher a quem devido à sua diabólica atuação na igreja, o Espírito Santo, pelo apóstolo João, a denominou de Jezabel, Ap 2.20-23. 

4. JEZABEL, E AS PROFUNDEZAS DE SATANÁS.
Tiatira era famosa pelo magnífico templo de Artêmis (outro nome da deusa Diana). Pensa-se que Jezabel tenha sido uma devota notável de Diana, com qualidades de liderança e seguidores entre as pessoas influentes da cidade que, atraída à causa crescente do cristianismo, filiou-se à igreja, mas insistia no direito de ensinar e praticar a licenciosidade, alegando receber inspiração para tais ensinos. 

Era chamada “Jezabel” porque, da mesma maneira que a outra Jezabel, a diabólica esposa de Acabe, introduzira em Israel as abominações do culto a Astarte (1 Rs 16), ela também introduzira na igreja cristã as mesmas práticas vis. 

Nem todos os pastores em Tiatira aceitavam os ensinos dela. Mas, querendo ser tolerantes e imaginando que ela talvez fosse um auxílio importante na conquista da cidade para o nome de Cristo, eles a acolheram no ministério. Com isso, o Senhor se desagradou muito. E, numa repreensão pungente, apresentou-se como aquele “cujos olhos são como chama de fogo e os pés como bronze reluzente” (v.18). Nenhuma leviandade seria tolerada na igreja!

Os profundos segredos de Satanás (v.24). Essa é a terceira menção a Satanás  nas sete cartas. Em Esmirna, Satanás estava por trás do encarceramento dos cristãos (2.9,10). Em Pérgamo, “o trono de Satanás”, ele perseguia a igreja e a corrompia internamente por meio de falsas doutrinas (2.13,14). Na presente carta, os ensinos de Jezabel foram chamados “os profundos segredos de Satanás” (v.24). Posteriormente, é mencionado como inimigo da igreja de Filadélfia (3.9).

Deus, por sua grande misericórdia, deu aos seguidores dos ensinos de Jezabel “tempo para que se arrependessem”. Mas ninguém estava disposto a isso, e seu castigo seria o sofrimento e a morte de seus filhos. 

A estrela da manhã (v.28). “Aquele que vencer” é prometida a “estrela da manhã”. O próprio Jesus é a Estrela da Manhã (22.16). Uma das profecias mais antigas do Messias chama-o “estrela” (Nm 24.17). Os que resistirem a Satanás não terão outras cargas impostas sobre si. Esses crentes fiéis receberam ordem para aguentar com firmeza até Cristo voltar. E pela fidelidade, e não pelos meios-termos, que a igreja alcança a posição de liderança genuína. 

CONCLUSÃO
Os olhos de fogo e os pés de bronze vêem e julgam, mas essa igreja perversa não se arrepende. A igreja tinha obras, serviço e perseverança, mas estava cheia de pecado. A falsa profetisa da igreja usava doutrinas falsas para seduzir (enganar) o povo de Deus. Ela deu-lhes licença para pecar (2 Pe 2 e Jd). A tragédia é que, embora Deus lhe dê oportunidade, ela não se arrepende. Nunca é tarde para a igreja se arrepender e voltar ao Senhor, porém devemos estar atentos para não perder as oportunidades oferecidas por Deus.  

Pesquisado e Elaborado: Ev. José Augusto de França Junior (Conhecido: Ev.Junior França) 
Fones: (85) 3226-2753(Igreja) - Celular: 8616.7122(Oi), 9940.0893(Tim), 55*97*2635(Nextel)
E-mail, Orkut e MSN: junior.franca1@hotmail.com  
Twitter:  http://twitter.com/#!/Juniorfranca2
Blog: http://joseaugustodefranca.blogspot.com/ 
Face book: www.facebook.com/profile.php?id=100001877051805

Referência Bibliográfica: Ensinador Cristão, Lições Bíblicas da Escola Dominical, Bíblia Pentecostal, Aplicação Pessoal, NVI, DAKE e NTLH, Glow, Examinem as escrituras – J. Sidlow Baxter; Comentários Bíblicos, Manual Bíblico: SBB e Halley, Todos os personagens da Bíblia de A - Z, História dos Hebreus, Pequena Enciclopédia Bíblica e Dicionário Bíblico: Wycliffe e J. D. Douglas, entre outros. 


Um comentário:

  1. Irmão , estive a ver algumas coisas em seu blog, e dou graças por haver homens que se interessam em divulgar a Palavra de nosso Deus. Desejo deixar um convite, tenho um blog com o nome de Peregrino e Servo,e se desejar fazer parte, eu ficaria radiante em tê-lo como meu amigo virtual,não se sinta coagido em fazê-lo, siga apenas se gosta do blog, de qualquer maneira vamos ficar amigos na mesma porque temos o mesmo Pai.Decerto irei retribuir seguindo o seu blog também. Um obrigado e muita paz e graça do Senhor Jesus.

    ResponderExcluir